Imprimir esta página

Seremos obrigados a amar nossos filhos por lei?

 

"Enquete interessante:

Congresso decide se pune ou não pais que não dão amor aos filhos.

Você acha que a justiça consegue obrigar o pai a amar o filho?"

 
Deveria mesmo ser obrigado a se amar filhos.
Porém obrigar por lei é um pouco mecânico demais, não é mesmo?
Nos lares deveria se brotar mais amor e carinho, atenção, não de forma imposta, mas por princípios e preparação.
De um casal que se amasse, deveria nascer frutos desse amor e um lar repleto de uma atmosfera de aprendizado natural surgiria de forma fluida.
O que acontece é que o amor tem sido posto de lado.
Os casais começam seus relacionamentos de forma errada, não são preparados para serem pais e mães, acham lindo ter um bebê, mas depois que crescem, as adversidades que enfrentam muitas vezes são obstáculos para até virem a ser rompidos casamentos.
Quantos pais não culpam seus filhos pelo erro que eles mesmos cometeram?
Realmente tem que ter estrutura e método, pulso para o limite, mas o amor é imprescindível.
Não estou falando que todos tenham que ser bíblias de psicologia infantil e nem saibam desde o início, o processo é difícil e o aprendizado é contínuo durante o processo do crescer, mas que pelo menos a parceria dos pais seja visível e que haja cumplicidade entre as partes para não passar ao filho insegurança e a criança acabar se sentindo sem chão e testando os limites dos pais e acabando por ficar ela, a criança, um ser sem limites, mal educada e sem referências.
Pensemos, Educar não é um processo o tempo todo de permissividade ou de pensar que estamos castrando nossos filhos com nossos limites, não, é só uma orientação, um parâmetro do que é certo ou errado.
 
Boa semana a todos!
 
Leiam e comentem também:
 

Ser mãe ou não ser? :: GOSTO DE LER :: http://bit.ly/jObU1

2

  • Link do comentário JanSmeame JanSmeame 29 Março 2020

    Cephalexin And Sore Throat buy cialis with paypal Acheter Cialis Generic4u viagra cialis online Buy Prednisone 20 Mg Tablets

    Relatar abuso
  • Link do comentário Danilo Danilo 12 Outubro 2009

    È verdade Danilo, ainda vamos falar sobre o que está por trás dessas ""correntes"" , nos e-mails das criancinhas enfermas ou perdidas sobram más intenções.
    Um abraço e obrigada pelo seu comentário.

    Relatar abuso