Imprimir esta página

Dez tipos de mulher para não copiar

  Redação Terra

Quando mostramos os dez tipos de homem para ficar bem longe, recebemos uma enxurrada de reclamações masculinas. Para não sermos acusadas de parciais, resolvemos traçar dez perfis de mulher que você nunca deve incorporar, a menos que a intenção seja espantar aquele carinha que não desgruda do teu pé. Sabe aqueles errinhos típicos que afastam qualquer um? Confira na tabela ao lado e torça para não se identificar com nenhum.

Não tem tu, vai tu mesmo
O mar não está pra peixe, a boca apresenta indícios de teia de aranha (nem o índice Dow Jones consegue ficar o tempo todo em alta, mulher!) e aí aquele carinha sem sal que dava em cima de você na época do colegial resolve aparecer do nada. Você, claro, não tem o mínimo interesse, mas o que faz? Fica dando mole pro coitado só para testar o quanto você é gostosa. Mas ele se mostra tão bonzinho que comove e acaba te ganhando. Só que o amor não vem.
Dilema: "Ele é tão legal e eu só gosto dos que não prestam...". Já escutou isso antes?
Receita médica: um comprimido de coragem e uma colher de auto-estima três vezes ao dia.
Saia do casulo: pode até ser que você venha a gostar mais dele com o tempo, mas manter um relacionamento morno só por medo de mudar de idéia e de não encontrar nada melhor é barra, hein? Pior: você não desocupa a moita, impede que ele encontre alguém que realmente goste dele e não consegue ficar feliz de jeito nenhum. Repense sua relação. Será que vale mesmo a pena?
Líder da categoria: aquela amiga que há anos pensa em terminar o namoro

Ciumenta? Não, sou neurótica!
Tudo bem que às vezes eles dão motivos, mas até aí armar um barraco só porque ele desviou o olhar de você já é demais. E ai da lambisgóia que se engraçar para cima dele. É baixaria na certa! Se você é do tipo que encrenca toda vez que ele resolve sair com os amigos e não suporta ver a mamãe dele toda carinhosa, cuidado! Você é séria candidata à ex-namorada. E se vocês ainda não chegaram a esse estágio, é melhor não mostrar as asinhas logo de cara.
Dilema: "Não consigo me controlar", "o ciúme é muito mais forte do que eu" ou "ele dá motivos, você viu, né?" (geralmente a última frase sai quando você está bufando de ódio).
Receita médica: Altas doses de segurança, auto-controle e muito suco de maracujá. Se nada disso funcionar, freqüente as reuniões de grupos de ajuda, como o Mada (Mulheres que Amam Demais Anônimas). Mas, se você provar ser um perigo para a sociedade, camisa de força.
Saia do casulo: Um pouquinho de ciúmes até que vai bem, mas exageros estragam qualquer relacionamento. Reflita sobre isso e comece a se controlar. Pense duas vezes cada vez que bater vontade de monitorar o celular dele ou interrogar o porteiro. Quanto mais você esperneia, mais abre espaço para as mocinhas despudoradas (e a gente sabe que elas são terríveis). Se o seu namorado realmente te der motivo de enlouquecer, deixe a marca do seu salto agulha na bunda nele! Ninguém merece passar por isso, certo?
Líder da categoria: Heloísa (a personagem de Giulia Gam em Mulheres Apaixonadas)

Virgem por vocação
O nome foi sugerido por um internauta e denuncia bem o tipinho que os deixam enlouquecidos...de raiva. Sabe aquela santinha do pau oco, que acha que precisa provar a qualquer custo que não é uma mocinha despudorada? Se ela só quisesse provar que é diferente tudo bem, mas a virgem por vocação peca por querer agradar demais. É boazinha em excesso, fala mansinho mesmo quando tem motivos para reclamar, é cheia de "não me toques" e está sempre com um discurso na ponta da língua para defender pobres, oprimidos e mostrar a nobreza de sua alma. Quem sabe assim não ganhe o Oscar...
Dilema: "eu não sou como essas aí!"
Receita médica: uma passagem de ida para Ibiza, na Espanha, uma das mecas da diversão
Saia do casulo: Se você é daquelas que faz tipo, cuidado para não extrapolar! É claro que eles gostam das "santinhas", senão não achariam a Sandy o ideal de mulher para casar, mas tem uma hora que tudo isso enche. Você já pensou em ser uma mulher real, de carne e osso, com defeitos e qualidades? Mostre a sua personalidade e saia desse casulo! Mas se você realmente nasceu assim, reveja os seus conceitos. Seja "virgem" eternamente, só não seja chata.
Líder da categoria: uma mistura de Sandy, Edwiges (Mulheres Apaixonadas) e Angélica aos 15 anos.

Mulher-sabonete
Ela escorrega (e como), mas é só para fazer charminho. É jogadora e odeia derrotas. Uma hora diz que está apaixonada e na outra some, depois se derrete e, no dia seguinte, é seca. O que está em jogo aqui é manter a auto-estima em alta. Para isso, não se cansa de dar trela a quem quer que seja, só para provar para si mesmo e para as amigas o quanto ela é boa. Outra característica que marca a mulher-sabonete é que ela não encontra limites, nem mesmo quando leva um fora. Deve ter aprendido a tática com os homens.
Dilema: "Ele vai ficar na minha mão" ou "ele é apaixonado por mim, você sabe..."
Receita médica: Chacoalhões e muita paciência de quem estiver por perto
Saia do casulo: A mulher-sabonete não é um dos piores tipos e até se dá bem. O difícil é algum relacionamento durar...
Líder da categoria: Luana Piovani depois de algumas mutações

Traumatizada
Ela tem um pouco da virgem por vocação, com a diferença que os "não me toques" têm outro motivo: como já quebrou a cara muitas vezes, não consegue confiar em mais ninguém. Resultado: vive numa redoma de vidro, desconfiada e com uma repulsa natural a relacionamentos, ou seja, quando se envolve com alguém tem atitudes que nem ela mesma entende, cheia de dúvidas e encanações.
Dilema: "por que será que só existe homem @¨*#)&**# nesse mundo?"
Receita médica: um cara realmente bacana e que tenha o pulso firme para acabar com as desconfianças da "traumatizada"
Saia do casulo: Aprender com os erros de outros relacionamentos é uma coisa, mas ficar amarga é outra. Que graça há em uma mulher pessimista e que se fecha para o mundo? O pior de tudo é que assim você só atrai coisas ruins e não consegue quebrar o ciclo. Todo mundo tem decepções amorosas, só não deixe de correr esse risco.

Garotinha auto-estima
Não se trata de abrir mão da auto-estima, mas, no caso das mulheres que ganham esse título, o problemas está no excesso. Roupinhas justas, batom vermelho e muito sex appeal. A garotinha auto-estima (ou "seduzir e destruir") é fanática pelo espelho e não perde uma oportunidade de mostrar seus dotes físicos, além de, claro, ficar de olho em um bom partido. Palco é com ela mesma. E a emoção maior é quando os amigos dele dão aquela conferida no material dela.
Conversas? Só se for sobre aquela calça fantástica que custa vários reais ou sobre aquela perua que se deu mal na festa de ontem. Ela está sempre disposta para o sexo, mas só para isso também.
Dilema: não tem dilemas, só hinos. Um deles é aquela música: "Eu sei que eu sou bonita e gostosa..."
Receita médica: livros, muitos livros
Saia do casulo: ninguém é bela para sempre.

Vítima
Ela é tão persuasiva que consegue reverter a situação na maior facilidade, principalmente quando não está certa. Qualquer coisa é motivo para uma choramingueira sem fim. Essa é sua principal arma. E assim vai conseguindo o que quer até acabar com a paciência dos outros. Boazinha, mas nem tanto.
Dilema: "se você não tivesse feito aquilo..."
Receita médica: uma dúzia de cebolas para reforçar o estoque da sofredora
Saia do casulo: não há coisa mais irritante do que mulher chorona.
Líder da categoria: qualquer protagonista de novela mexicana

Submissa
Cada um é feliz como quer, mas se você optar por ser submissa, arque com as conseqüências e não reclame depois. No começo do namoro, a vontade de fazer tudo pelo outro é muito maior, mas se você acostumar mal o seu bonitão, um abraço. Trocar de saia porque ele achou a que você está vestindo curta demais, sair de casa às 6h para buscá-lo em uma festa ou deixar de ver suas amigas por causa dele já é exagero. Homens odeiam isso.
Dilema: "sim, mestre"
Receita médica: despertador programado para agora
Saia do casulo: não tente manter a relação a qualquer preço. Reciprocidade é tudo. Não caia nessas armadilhas!
Líder da categoria: nossas avós, talvez.

Cara-metade
Ela gruda no namorado e é bem capaz de só ter conta conjunta no banco, de só comprar alguma roupa depois da aprovação do amado... Quando isso é sinal de cumplicidade, ótimo. Mas, a partir do momento que vira neurose, fica complicado.
Para sair, mesmo com os amigos dela, o namorado precisa estar junto. Sozinha, parece um peixinho fora d'água. Ah, e ela sempre tem uma desculpa: "é porque ele me completa, gente!".
Dilema: "ai, gente, o Armandinho (ou qualquer que seja o nome do amado)..."
Receita médica: internação (só assim para desgrudar do namorado)
Saia do casulo: se você é feliz assim...

Carente
Ter um namorado é o objetivo da mulher carente. Pior é que com a carência vêm as cobranças. E o namorado endoidece! Nada está bom, nada é suficiente e ela consegue achar problema até onde não existe. Se fica muito tempo sozinha entra em crise.
Dilema: "o que você fez não foi legal"
Receita médica: auto-estima e independência
Saia do casulo: não encare os homens como uma solução e aprenda de uma vez por todas a viver sozinha. Você deve ter perdido a conta de quantas enrascadas se meteu por causa disso.

Crédito: Redação Terra